Uma homenagem às mulheres!

ROSA
Composição: Pixinguinha, Otavio de Sousa

Tu és divina e graciosa/
Estátua majestosa
No amor!
Por Deus esculturada
E formada com ardor…

Da alma da mais linda flor
De mais ativo olôr
Que na vida é preferida
Pelo beija-flor…Se Deus
Me fora tão clemente
Aqui neste ambiente
De luz, formada numa tela
Deslumbrante e bela…

Teu coração
Junto ao meu lanceado
Pregado e crucificado
Sobre a rosa e a cruz
Do arfante peito teu…

Tu és a forma ideal
Estátua magistral
Oh! alma perenal
Do meu primeiro amor
Sublime amor…

Tu és de Deus
A soberana flor
Tu és de Deus a criação
Que em todo coração
Sepultas um amor…

O riso, a fé, a dor
Em sândalos olentes
Cheios de sabor
Em vozes tão dolentes
Como um sonho em flor…

És láctea estrela
És mãe da realeza
És tudo enfim
Que tem de belo
Em todo resplendor
Da santa natureza…

Perdão!
Se ouso confessar-te
Eu hei de sempre amar-te
Oh! flor!
Meu peito não resiste
Oh! meu Deus
O quanto é triste
A incerteza de um amor
Que mais me faz penar
Em esperar
Em conduzir-te
Um dia ao pé do altar…

Jurar aos pés do Onipotente
Em preces comoventes
De dor, e receber a unção
Da tua gratidão…

Depois de remir meus desejos
Em nuvens de beijos
Hei de envolver-te
Até meu padecer
De todo fenecer…

Homenagem ao grande Edy Star

Rodrigo Titarelli, que interpreta o Dr Paxeco nos show de Edy Star fez uma linda homenagem a esse artista importantíssimo de nossa música. Rodrigo reuniu em um vídeo diversas fotos de Edy com personalidades culturais de nosso país: desde Dorival Caymi, Caetano, Gil, Betânia, Dercy Gonçalves, Emílio Santiago, Miguel Fallabela, Consuelo Leandro e outros. Mostra o carinho que esse baiano conquistou por sua arte e carisma. E como diz o grande Sylvio Passos “Eu quero estar aonde o Edy Star”.
Parabéns Rodrigo e um Salve a EDY STAR!

Aqui está o link do vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=7eXlKsl5JpI

minha segunda noite de carnaval.

as fotos falam por si. Clique nas fotos para ampliá-las

minha primeira noite de carnaval.

Bem eu sou rocker e curto um blues. Não gosto nem um pouco de carnaval, massssssssss faço parte de um time e por esse motivo algumas pessoas me verão durante algumas noites do Tupã Folia 2011. Como na noite de sexta-feira em que tiramos algumas fotos que publico aqui abaixo. Clique nas fotos para aumentar o tamanho.

Viúva do escritor Guimarães Rosa morre em SP

Morte de Aracy Carvalho Guimarães Rosa foi por causas naturais.
Ela estava internada no Hospital Albert Einstein e tinha 102 anos.

Morreu nesta quinta-feira (3), aos 102 anos de idade, Aracy Carvalho Guimarães Rosa, viúva do escritor Guimarães Rosa, autor de Grande Sertão: Veredas. Aracy estava internada no Hospital Albert Einstein, onde morreu às 5h30, de causas naturais. O marido dela já tinha morrido no ano de 1967.

Marco Lucchesi é o novo membro da Academia Brasileira de Letras


A Academia Brasileira de Letras (ABL) elegeu, nesta quinta-feira (3), o professor, ensaísta e poeta carioca Marco Lucchesi para a Cadeira Número 15 da instituição. Com 47 anos, Lucchesi, que passou a ser o integrante mais jovem da ABL, substitui o Padre Fernando Bastos de Ávila, falecido em 6 de novembro do ano passado.
O poeta recebeu 34 dos 38 votos possíveis (tendo sido três abstenções e um voto em branco). Compareceram à sessão 26 acadêmicos, 9 dos quais votarem presencialmente. Houve 27 votos por carta.

“A chegada do escritor Marco Lucchesi constitui uma contribuição das mais valiosas para o quadro da Academia. Jovem e brilhante, certamente será de muita valia para os projetos e propostas que nossa Casa deseja implementar nos próximos anos”, afirmou em comunicado o Presidente da ABL, Marcos Vinicios Vilaça.

Formado em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF), doutor em Ciência da Literatura pela UFRJ e pós-doutor em filosofia da Renascença na Universidade de Colônia, na Alemanha, Lucchesi tem, entre suas publicações, os livros “Meridiano celeste & bestiário”, premiado com o Prêmio Alphonsus de Guimarães 2006 da Biblioteca Nacional e finalista do Prêmio Jabuti 2007; “Sphera”, que recebeu Menção Honrosa do Prêmio Jabuti 2004, além do Prêmio UBE de Poesia Da Costa e Silva 2004; “Os olhos do deserto”; “Saudades do paraíso” e “O sorriso do caos”.

Também teve algumas de suas obras publicadas em italiano, como “Poesie” e “La gioia del dolor”.

A Cadeira Número 15 tem como patrono o poeta e teatrólogo Gonçalves Dias e seu primeiro ocupante foi Olavo Bilac. Além de Bilac e do Padre Ávila, ocuparam a Cadeira Amadeu Amaral (1875-1929); Guilherme de Almeida (1890-1969); Odylo Costa, filho (1914-1969); e Dom Marcos Barbosa (1915-1997).

publicado em http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2011/03/marco-lucchesi-e-o-novo-membro-da-academia-brasileira-de-letras.html

perigo!!!

Servidores do Minc ameaçam demitir-se
Enviado por luisnassif, ter, 01/03/2011 – 13:09
Por Carlos Henrique Machado
Do Ministério da Cultura
Racha agita área de direitos do Minc

Estadão – SP, por Jotabê Medeiros, em 01/03/2011

Servidores ameaçam demitir-se em protesto contra saída de Marcos Souza, da direção de Direitos Intelectuais

Um racha atingiu ontem a Diretoria de Direitos Intelectuais do Ministério da Cultura em Brasília. A internet foi tomada com diversas manifestações de protesto pela exoneração do diretor da área, Marcos Alves de Souza. O imbróglio deve se radicalizar: 16 pessoas ameaçam afastar-se daquele setor do ministério nos próximos dias, segundo informações obtidas pelo Estado.
inistério da Cultura ofereceu a Souza, especialista jurídico em direitos de autores e um dos principais consultores do novo anteprojeto da reforma da Lei de Direitos Autorais, a possibilidade de assumir outra função na Diretoria de Direitos Intelectuais, mas ele recusou. Em seu lugar, foi nomeada a advogada carioca Marcia Regina Vicente Barbosa, de 56 anos, que integrou o Conselho Nacional de Direito Autoral (CNDA) entre 1982 a 1990. Advogada da União, Marcia foi integrante da Consultoria Jurídica do Ministério da Cultura, de 2006 a 2010, e integra a Consultoria Geral da União desde maio de 2010.

http://www.cultura.gov.br/site/2011/03/01/racha-agita-area-de-direitos-do-minc/


EDY STAR
* – artista integrante da mitológica Sociedade da Grã-Ordem Kavernista, da qual nasceu o álbum coletivo Sessão das Dez, em 1971, que tinha ainda Raul Seixas, Miriam Batucada e Sergio Sampaio, comemora os 40 anos do lançamento do álbum.
Com show bastante performático, que remete ao teatro de revista, Edy se apresenta com Caverna Guitar Band: Caverna (guitarra), Lu Stopa
(baixo), Marcelo Loureiro (teclados) e Naná (bateria).
As garotas Tatá e Ivani nos backing-vocal…
E mais a participaçâo especial de Sylvio Passos.
No Teatro.

Não recomendado para menores de 12 anos
R$ 16,00 [inteira]
R$ 8,00 [usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, professores da rede pública de ensino e estudantes com comprovante]
R$ 4,00 [trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes]

Para Lucimara

Essa mulher que
Vive no corpo de menina
É um pedaço do tempo
Que segue seu rumo
Lento e constante.
Botão que desabrocha
O talento
De flor
Em que se transmuta
A menina que
Ainda usa aparelho
E chamo de querida
Tri querida.
Brinca na corda bamba da vida
Aproveita o palco
Que te aceita
Fresca risada
Numa escandalosa tarde.
LUz aCIma do MAR Azul
Fique do meu lado
E deixe que o teu tempo
Abençoe meus poemas
Com gotas de sonhos bons.

Morre Moacyr Scliar


O escritor gaúcho Moacyr Scliar, 73 anos, morreu na madrugada deste domingo (27) no Hospital de Clínicas em Porto Alegre, por falência múltipla de órgãos devido às consequências de um acidente vascular cerebral (AVC).

Scliar havia sofrido um AVC na madrugada de 16 de janeiro enquanto se recuperava de uma cirurgia no intestino. De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, o escritor morreu à 1h, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ele deve ser velado neste domingo na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, a partir das 14h. O sepultamento será na segunda-feira (28), em cerimônia reservada a familiares e amigos.

Moacyr Jaime Scliar nasceu em 23 de março de 1937, em Porto Alegre. Era casado com Judith, com quem teve um filho, Roberto. Seus pais, José e Sara Scliar, oriundos da Bessarábia (Rússia), chegaram ao Brasil em 1904. Formado em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, era especialista em Saúde Pública e Doutor em Ciências pela Escola Nacional de Saúde Pública, tendo exercido a profissão junto ao Serviço de Assistência Médica Domiciliar e de Urgência.

Seu primeiro livro, publicado em 1962, foi “Histórias de médico em formação”, contos baseados em sua experiência como estudante. Em 1968, publicou “O carnaval dos animais”, de contos, que considerava de fato sua primeira obra.

Publicou mais de 70 livros de diversos gêneros literários – entre eles, os romances “O Exército de um homem só”, “A estranha nação de Rafael Mendes” e “O centauro no jardim” – e teve textos adaptados para cinema, televisão, rádio e teatro, inclusive no exterior. Era colaborador dos jornais Zero Hora e Folha de S. Paulo. Desde 2003, era membro da Academia Brasileira de Letras (ABL). Scliar ganhou três vezes o Prêmio Jabuti – a mais recente, em 2009, com o romance “Manual da paixão solitária”.

"Um fornilho cheio e café. Ainda vivo"

Repositório de Emoções

Aventuras literárias sobre maternidade, auto-exilio e crises existenciais

Chicoabelha's Blog

Just another WordPress.com weblog

Marisa, a Noob

Textos aleatórios de noobice

Xadrez Verbal

Política, História, atualidades e um pouco de autoterapia

blog da kikacastro

Para leitores pensantes.

gueto

revista literária luso-brasileira

Nataly Nunes

Literatura e cotidiano

17 de novembro

escrevo no papel da verossimilhança, mas nunca da vida real.