Partiu o José Waldery (Pipol)

Pipol e ao fundo o poeta Cláudio Willer.

Pipol e ao fundo o poeta Cláudio Willer.

José Waldery Mangieri Pires,o Pipol do portal Cronópios faleceu na madrugada de hoje. Soube por uma postagem da Renata D’Elia informando que “ele estava internado para fazer uma cirurgia de retirada do apêndice e teve uma parada cardíaca. Era um cara muito generoso e apaixonado pela literatura, que deixa como legado um site independente com riquíssimo acervo e espaço para diferentes vozes, coisa cada vez mais difícil de ser vista.” Em janeiro passado tentei encontrá-lo quando estava em São Paulo, na minha mala estava duas publicações da Pirataria Poética que ele participou junto com o Jony Rosa e meu primo João Nicodemos. Em agosto do ano passado o Jony Rosa se foi, agora o Pipol. A literatura brasileira perde com a passagem deste inquieto. Cláudio Willer escreveu em seu blog sobre a perda de Pipol e reproduzo aqui com autorização do poeta.

Ninguém parece saber o nome de batismo, nem a data de nascimento. Morte inesperada e incongruente, de complicações no apêndice. Nasceu em Tupã, mas o conheci em Bauru, em 1986, por ocasião de uma Bienal do Livro que teve lugar lá. Integrava um grupo de jovens poetas independentes. Enviou trabalhos para o extinto jornal Leia, onde cuidava de uma página de autores novos. Gostei e publiquei. Voltei a encontrá-lo em algum momento da década de 2000, quando, junto com Edson Cruz, criou Cronópios, remetendo á espécie inventada por Julio Cortázar, de criaturas libertárias – foi anarquista,anti-autoritário – em contraposição aos famas, organizados e burocráticos. Sem dúvida, pela riqueza da pauta, pelo incrível aproveitamento dos recursos digitais, pela capacidade de acompanhar debates e eventos culturais, Cronópios é o melhor dos portais de internet.
Procurar saber quem são os sucessores, estabelecer contato com familiares, alguém dispor-se a preservar o incrível acervo. Dar prosseguimento me parece difícil, pelas próprias características de Pipol: era único, inimitável. Mas, o que puder ser feito, estou à disposição, quero colaborar.
Como me registrou. Já em 2007, a extensa entrevista comigo na FNAC. Pouco depois, o vídeo do lançamento de “Geração beat”. Um dos mais recentes, o video do lançamento de “Os rebeldes: geração Beat e anarquismo místico”, na Martins Fontes. Os poemas em estúdio na sessão preparada por Valdir Rocha. E em uma quantidade de outras ocasiões. Ponto alto, a entrevista no estúdio dele – em 2011? – bem irreverente, eu a soltar baforadas de cigarro ao final.
Isso, além da quantidade de artigos que publiquei em Cronópios– sobre cinema e geração beat, ele que propôs. Colaborei em sua série sobre Eder Jofre, tema que o fascinava.
Veio aqui em casa, ensinou-me a operar com imagens (aprecio a tecnologia digital, mas sou inepto). Estava com uma quantidade de slides meus, dos anos de 1960, que digitalizava aos poucos, alguns divulguei aqui, outros continuam com ele.
Entre outros projetos que desenvolvia, preparava um documentário sobre Roberto Piva, assistido por Roberto Bicelli. Quase pronto, que eu saiba, faltando finalização e montagem.
ISSO NÃO PODE PERDER-SE. TEM QUE SER PRESERVADO. Falar com amigos, verificar como pode ser dado prosseguimento, embora Pipol seja evidentemente insubstituível.
Amostras – que permaneçam:
http://cronopios.com.br/site/artigos.asp?id=5819 – os poemas em estúdio
http://cronopios.com.br/site/artigos.asp?id=5835 – vídeo ‘a fila boa’
https://www.youtube.com/watch?v=aSRH3LJX0HM – a entrevista irreverente em que fumo ao final
http://cronopios.com.br/site/ensaios.asp?id=5788 artigo sobre surrealismo no Brasil
http://cronopios.com.br/site/artigos.asp?id=5760 – a ‘noite beat’
http://cronopios.com.br/site/critica.asp?id=5458 e http://cronopios.com.br/site/critica.asp?id=5456 – os artigos sobre geração beat e cinema
http://cronopios.com.br/site/noticias.asp?id=5276 – série completa de minhas homenagens a Robert Desnos
http://cronopios.com.br/site/critica.asp?id=5127 – a resenha de Paranóia que não foi publicada em 1963
http://cronopios.com.br/site/ensaios.asp?id=4849 – comentado por Paulo Sposati Ortiz
http://cronopios.com.br/site/ensaios.asp?id=4708 – minha resenha de JAA Torrano
http://cronopios.com.br/site/artigos.asp?id=4044 – o lançamento de “Geração Beat”
http://cronopios.com.br/site/poesia.asp?id=3900 – performance de Lautréamont com João Andreazzi
http://cronopios.com.br/site/artigos.asp?id=2952 – entrevista e matérias de 2007
Há mais. muito mais. Pipol foi generoso. Cronópios, uma casa de portas abertas.
Trabalhos do próprio Pipol, registrados por Paulo Sposati Ortiz:http://cronopios.com.br/site/ensaios.asp?id=4804
  ( fonte: https://claudiowiller.wordpress.com/2015/04/16/pipol-cronopios-xxx-abril-de-2015/)

Anúncios

Sobre Jim Duran

Professor, escritor, ator. Já foi chamado de Caminhante Noturno, já teve seus dramas e risos, lágrimas e desespero.
Esse post foi publicado em Diários do Caminhante Noturno. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s