poema…

Ménade_relieve_romano_(Museo_del_Prado)_04b

Descortina a noite em tuas vestes claras,

Calícore que traz em seus seios pequenos

Todo o desejo.

Baila solta como estrela em meu verbo

E o bailar é recorrente em meus versos

Porque gosto da liberdade que dá o movimento.

Não é nada pronto e definitivo

Tudo é urgência e silêncio em nossa noite sussurrada.

Em nossa clandestina música do baile

E há o que FALO que te cutuca a carne

E há o que há que não interessa a ninguém.

Esse segredo enterrado, lacrado em uma caixa como aquela

Que Pandora abriu sem dever.

E sibila os ventos quentes da noite

Sibila como sílaba no nome Sílvia.

E vai bacante de biquíni, te beijo a barriga

Tímida musa de riso e malícia, meu olhar é refém do que

Se mostra entre sombras que a lua cheia projeta.

E eu penetro teu universo e fundo vou

Porque o caminho se abre com carinho

E não há onda para remar contra,

Sente em meu colo e permaneça quieta

Pois o movimento acorda o corpo.

E minha língua fala beijo na boca tua.

Anúncios

Sobre Jim Duran

Professor, escritor, ator. Já foi chamado de Caminhante Noturno, já teve seus dramas e risos, lágrimas e desespero.
Esse post foi publicado em Tudo junto. Bookmark o link permanente.

2 respostas para poema…

  1. silvia disse:

    ahhh,poeta lindo,lindo,lindo!!!!!!!!!!!

  2. aline disse:

    lindo! muito lindo mesmo… tocante….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s