poeminha simples.

Sou o poema que te arrepia a nuca

O escrito que te liberta o peito

Cria o riso

Recria o desejo

Neste insano bailar da caneta sobre o papel.

Sou o sonho estranho, o amigo distante

O carinho que vem de onde não se espera.

Sou o que te espera de braços abertos e de olhar firme.

Sou uma carta antiga que foi escrita e nunca entregue,

Guardada entre as páginas já amareladas de um livro de Neruda.

Sou um sátiro, sou um libertino, sou um ébrio, sou um cara.

E você é sonho, é beijo que desejo

É um adeus que não se dá

É um permanecer pelo mistério do querer.

Segure a respiração, feche os olhos calmamente,

Sou a sensação que o corpo tem quando mergulha

Numa banheira cheia de água morna durante o inverno.

Sou o anoitecer, sou o anoitecer.

Me espere

Anúncios

Sobre Jim Duran

Professor, escritor, ator. Já foi chamado de Caminhante Noturno, já teve seus dramas e risos, lágrimas e desespero.
Esse post foi publicado em Tudo junto. Bookmark o link permanente.

2 respostas para poeminha simples.

  1. Lindo! Lindo! Lindo! ❤

  2. olá, cheguei aqui através da Patrícia Pirota, vlogueira das boas, lindo de viver seu poema, parabéns, mais um lugar prá visitar. Obrigada pela generosidade em repartir.
    abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s