pra começar bem a sexta-feira

Acordei de boa, apesar de ainda estar com sono. Tomo meu baldinho de café e ouço as notícias. Também vejo o que os amigos postaram em seus facebook’s. Sylvio escreveu um texto bem interessante com boas citações e referências. Por isso peço espaço aqui e publico na integra.

“Diz um velho deitado que “é lícito enlouquecer uma vez por ano”. Acho que estourei minha cota esse ano por uns 2 séculos. O que será de mim em 2013? ha ha ha…

Já um outro velho deitado diz que “se o louco persistir em sua loucura, acabará sábio”. Tenho dúvidas em relação a isso, embora seja fato que “alucinar não é enxergar e escutar o que não existe e sim a capacidade que só os loucos têm de perceber clara e distintamente o que existe dentro deles mesmos”. Logo…

Jack Kerouac diz em seu maravilhoso “On The Road” (que li ainda na adolescência, mas nunca esqueci desse trecho) “E eu me arrastei, como tenho feito toda a minha vida, indo atrás das pessoas que me interessam, porque os únicos que me interessam são os loucos, os que estão loucos para viver, loucos para falar, que querem tudo ao mesmo tempo, aqueles que nunca bocejam e não falam obviedades, mas queimam… queimam… queimam como fogos de artifício em meio à noite.” Me parece que minha

vida toda foi e continua sendo exatamente assim, as vezes me parece que sou um “para-raios de loucos”. Os fatos corroboram isso.

Mas, finalizando – porque já estou excedendo minha loucura nessa louca madrugada -, não posso deixar de citar “O Lobo Da Estepe”, de Hermann Hesse, o livro que melhor me traduz na atualidade, embora também o tenha lido há décadas e continua cada vez mais pertinente. “Só Para Loucos (…) E, de fato, se o mundo tem razão, se essa música dos cafés, essas diversões em massa e esses tipos americanizados que se satisfazem com tão pouco têm razão, então estou errado, estou louco. Sou, na verdade, o Lobo da Estepe, como me digo tantas vezes — aquele
animal extraviado que não encontra abrigo nem alegria nem alimento num mundo que lhe é estranho e incompreensível.” Não por acaso, num dos meus heterônimos, assino Steps (Passos, em Inglês) fazendo referencia ao Steppenwolf, romance de Hesse que também diz que “a sabedoria não pode ser transmitida. A sabedoria que um sábio tenta transmitir soa mais como loucura”.

Poderia escrever um pouco mais sobre as minhas múltiplas, contraditórias e loucas personalides, mas estou louco pra dormir.

Boa noite!

SPassos Sideral Visceral & Surreal, o Puto BRother que olhou pro mundo e viu que tudo era maravilhosamente insano.

Não há ninguém que possa me culpar
Vida abstrata, valores éticos, sabores cítricos.”pr a

Anúncios

Sobre Jim Duran

Professor, escritor, ator. Já foi chamado de Caminhante Noturno, já teve seus dramas e risos, lágrimas e desespero.
Esse post foi publicado em Tudo junto. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s