Eu sou Eduardo Duran


Sempre fui um idealista e um tremendo sonhador como um bom pisciano. Deixei muitas histórias boas para trás, carrego esses momentos vivos em minha memória, os bons e os maus. Me decepcionei muitas e muitas vezes com as pessoas que estavam ao meu lado e também comigo. Pisei na bola e errei muitas vezes. Cometi loucuras e insanidades mas sempre vivi a minha vida da forma mais leal ao que compreendo como um caminho que percorro cheio de altos e baixos, com tempestades e tempos amenos. Fui mais longe do que sonhei. Tive que aprender com a solidão quem eu era realmente e quando consegui isso me surpreendi com a constatação que muitas coisas simples me causam certo grau de receio.     Eu nunca quis ser santo, nunca quis ser a pessoa com uma vida toda regrada e certinha.
Testei meus limites algumas vezes, físicos e emocionais as barreiras foram cedendo e outras tantas surgindo em seus lugares. Envolvi-me e entreguei-me muitas vezes sem receio da queda. Cai tantas e tantas vezes como qualquer outra pessoa que olha por tempo demais para o fundo do abismo. Não sou, contudo, metade da pessoa que alguns crêem. Procuro ser verdadeiro comigo mesmo na grande maioria das vezes, mesmo sabendo que isso é impossível. Só podemos ser verdadeiros com o outro se soubermos o que nos toca realmente. Quando estou feliz tudo ganha um brilho, um som, um perfume diferenciado. E quando algo me deixa triste fico amuado, pelos cantos sigo quieto até encontrar alguém com quem possa conversar sobre o que me oprime. Divido com poucos e leais amigos os meus sonhos e desejos mais caros.
Algumas vezes sou abusado, espaçoso, um tanto atrevido. Em geral a minha timidez não interfere em nada. Mas quando surge algo que me balança, algo que me deixa sem fôlego então ela surge como uma surpresa que chegar a ser incomoda. Como pode uma pessoa ser tão complexa, tão estranha, tão cheia de dúvidas e medos? É a humanidade que carrego. Não sou uma personagem a quem interpreto. Sou Eu apenas, por mais multifacetado que posso ser, sou apenas eu. Creio que há uma normalidade em tudo isso. Ninguém é bom em tudo e ninguém é uma eterna negação, somos apenas aqueles que tentam.

Anúncios

Sobre Jim Duran

Professor, escritor, ator. Já foi chamado de Caminhante Noturno, já teve seus dramas e risos, lágrimas e desespero.
Esse post foi publicado em Tudo junto. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s